O vendaval que ocorreu dia 09 de janeiro de 2019, destelhou o Instituto Penal de Uruguaiana, e desde então o prédio está interditado e sem previsão para receber as reformas necessárias para reabrir o espaço. Enquanto não tem uma definição para a reconstrução, 234 apenados estão em prisão domiciliar e outros 92 aguardam julgamento de processo administrativo disciplinar na Penitenciária Modulada de Uruguaiana, que é a única que atende a Comarca e que abriga presos do regime fechado. Destes 92 presos, 58 foram levados para o presídio por terem cometido outros crimes neste período ou por não cumprirem a determinação de ficarem em casa. E o destino destes apenados continua indefinido.

O Estado ainda não sabe se vai reformar o Instituto Penal ou se vai construir um anexo junto a Penitenciária Modulada, justamente pra receber estes apenados dos regimes aberto e semi aberto. O Juiz da Vara de Execuções Criminais de Uruguaiana, Guilherme Machado da Silva, disse que já oficiou por duas vezes o Estado, pedindo posicionamento sobre esta situação. O magistrado disse que solicitou o plano e os orçamentos para realização destas obras, inclusive com a possibilidade da Comarca ajudar nestes gastos. Se não obtiver resposta, o Ministério Público deverá entrar com uma ação, obrigando o Estado a tomar alguma providência. O Governo tem até esta quinta-feira, 04 de julho de 2019, para enviar uma resposta à Justiça sobre esta reforma e a realocação dos presos.

Fonte: Rádio Gaúcha

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here