Foto: Google

Líder mundial no chamado varejo de viagem, a Dufry definiu onde será seu primeiro free shop terrestre. A escolha da rede foi por Uruguaiana. A operação ficará na rua Domingos de Almeida, onde funcionou o SESI, no prédio ao lado da RBS TV. O local já está em obras.

A previsão é que a loja comece a funcionar em maio ou junho e é possível que seja o primeiro free shop terrestre do país, após uma tramitação que se arrasta por anos para finalmente os estabelecimentos saírem do papel. A Dufry também prospecta unidades para Foz do Iguaçu (PR) e Santana do Livramento (RS).

As informações são do próprio presidente da Dufry no Brasil, Humberto Mota.  O presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Implantação de Free Shops do lado brasileiro, deputado Frederico Antunes, convesou com o executivo.

— Cada um turista movimenta outros dez empregos — disse Mota, enfatizando como a economia local é movimentada.

O deputado Frederico Antunes conta que só em Uruguaiana há cinco solicitações de alvarás para free shops terrestres no município. Outra empresa com negociações bem adiantadas é o DFA. O parlamentar pondera, no entanto, que é preciso dar mais segurança jurídica para que mais empresas decidam fazer o investimento.

— Inicialmente, era proibido vender apenas produtos como armas, pedras preciosas e automóveis. No final do ano passado, uma nova regra passou a proibir tabaco, calçados e linha branca de grande porte. Isso está para ser revertido agora em abril e os empresários precisam saber que não ocorrerão novas restrições assim – detalha Frederico Antunes, conversando com a coluna direto dos Estados Unidos.

Atualmente, 20 dos 32 municípios brasileiros aptos a receber lojas no Brasil já possuem legislação local autorizando a implantação de free shops. Fundada em 1865, a Dufry opera aproximadamente em 2,2 mil pontos de venda em 64 países e tem 2,5 mil funcionários só no Brasil.

Regras de compras

  • A cota máxima de compras é de US$ 300 por CPF ou o equivalente em outra moeda a cada intervalo de 30 dias em compras de produtos nacionais. Já o excedente em mercadorias importadas terá taxa de 50%. O software fará este controle e também quanto à quantidade de alguns itens:
  • Bebidas alcoólicas – 12 litros 
  • Cigarro – 20 maços 
  • Charutos ou cigarrilhas – 25 unidades 
  • Fumo preparado para cachimbo – 250 gramas 
  • Ainda se tenta manter a cota para brasileiros comprarem em free shops estrangeiros quando estão em viagens terrestres. Com a abertura das lojas francas no Brasil, o limite cairia de US$ 300 para US$ 150.  Se aumentar, o consumidor poderá gastar um total de US$ 600 sem pagar tributos sobre o excedente.  Metade de cada lado da fronteira.
  • Giane Guerra

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here