Jornalistas de todo o País voltaram-se para Uruguaiana nesta semana, em razão da declaração feita pelo candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), general Hamilton Mourão (PRTB), durante palestra na Câmara dos Dirigentes Logistas (CDL). Na oportunidade, o general reformado do Exército, disse que os direitos trabalhistas são bolsas com jabuticabas que são colocadas nas costas dos empresários, se referindo ao 13º salário e as férias. Após a declaração de Mourão, Bolsonaro se manifestou por meio de seu twiter: “O 13° salário do trabalhador está previsto no art. 7° da Constituição em capítulo das cláusulas pétreas (não passível de ser suprimido sequer por proposta de emenda à Constituição). Criticá-lo, além de uma ofensa à quem trabalha, confessa desconhecer a Constituição”, disse presidenciável. Será que o capitão e o general nunca tinham conversado sobre o assunto? Ou Mourão está tão certo da vitória que desconsiderou a opinião dos trabalhadores?
Das milhões de perguntas que me faço todos os dias, duas vou deixar aqui: Qual teria sido o comportamento de Bolsonaro e do general se ele fosse o presidente na oportunidade da greve dos caminhoneiros? E por quanto tempo o general vai aceitar ordens do capitão? Procurando respostas.
Por Drica Lima

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here